Alimentando seu gato

Uma boa nutrição e uma dieta equilibrada são elementos essenciais para uma boa saúde felina. A dieta ideal para o seu gato inclui um alimento de boa qualidade e abundância de água fresca. Seu gato deve ser  alimentado com porções suficientes de aliemento que supram as necessidades energéticas e calóricas para uma boa saúde. Lembrando que a ingestão inadequada de nutrientes ou excesso destes,  pode ser igualmente prejudicial.

Os alimentos secos tem uma maior quantidade de calorias, o que significa que há menos porcentagem de água em 1/2 copo de alimento seco, em comparação com uma dieta de alimentos úmidos enlatados. No geral, a escolha do alimento “seco” versus “enlatado” versus “semi-úmido” é individual, até porque cada gato tem seu “gosto” pessoal. Na minha opinião, basta ter bom senso e sempre tentar equilibrar, balancear a dieta.

Gatos em diversas fases da vida, filhote, adulto e sênior, requerem diferentes quantidades de nutrientes, principalmente em situações especiais como gravidez , amamentação e filhotes em desmame. Gatos jovens e portanto mais ativos,  precisam de mais calorias, enquanto os “gatos de sofá”, sedentários,  geralmente mais velhos, precisam de menos calorias (assim como nós).

Para uma dieta bem balanceada, os gatos necessitam dos seguintes ingredientes:

Vitamina A

O gato é incapaz de converter beta-caroteno em retinol ( vitamina A), necessitando assim de fonte pré-formada da vitamina, e por isso,  a sua fonte de vitamina deve ser proveniente de carnes, mais especificamente de órgãos como rins e fígado, por exemplo.  A vitamina A auxilia na manutenção da visão, sendo importante também para a formação e o crescimento ósseo e dentário. A ausência de  vitamina A em sua dieta, leva ao crescimento deficiente do indivíduo, a perda de peso, danos às membranas celulares e diminuição da resistência a doenças, ou seja, baixa imunidade.  Mais importante ainda, nas fêmeas, a falta dessa vitamina,  pode interferir no ciclo reprodutivo, afetando o embrião, podendo causar aborto ou gerar filhotes com anormalidades, tais como a fenda palatina. O excesso da vitamina A também pode causar doenças, problemas ósseos, gengivite e perda dos dentes. Isso pode ocorrer por excesso de suplementação ou por ingestão excessiva de fígado.

Niacina (Vitamina B3)

A niacina é muito importante no metabolismo da energia.
Cães sintentizam glutamato e niacina (vitamina B3) através do triptofano. Já os gatos , não tem esta habilidade e por isso necessitam de Niacina (vitamina B3) pré formada na dieta. A  niacina está presente em sua maioria, nos tecidos animais. Ela ajuda a evitar a pelagra (Em gatos a doença é chamada de língua negra), uma doença grave que combina sintomas dermatológicos, distúrbios digestivos, psíquicos e hematológicos. Em cães e gatos, contribui para a saúde da pele e brilho dos pelos. Deficiências incluem perda de peso, perda de apetite, problemas de pele e feridas ao redor da boca.

Ácidos Graxos Essenciais

Os lipídeos representam uma porção importante da dieta dos carnívoros. Os gatos necessitam de quantidades adicionais de ácido araquidônico para outras funções, tais como a reprodução e a agregação das plaquetas sanguíneas. O ácido araquidônico está presente apenas nas gorduras de origem animal. Por isso, ele requer um pouco de gordura animal em sua dieta. Dermatite e problemas de fertilidade estão entre os sintomas de deficiência.

Os ácidos graxos da série ω-3 são responsáveis pela redução na incidência de doenças cardiovasculares, prevenção da aterosclerose e trombose, resultante da modificação do metabolismo dos lipídeos e lipoproteínas no sangue. Eles são sintetizados por cães e gatos, sendo, considerados como ácidos graxos essenciais, e, portanto, devem estar presentes na dieta.

Taurina

A exigência de taurina na dieta do gato é bastante elevada, pois diferententemente dos outros animais, os gatos não conseguem sintetizá-la. A taurina, é um aminoácido proveniente dos músculos, encontrado em produtos de origem animal. A taurina está envolvida na formação e funcionamento da retina e nos gatos também com a formação de sais biliares.

Peixes e mariscos também são fontes de taurina. A deficiência de desta,  pode levar a degeneração da retina , uma forma de cegueira, problemas de função reprodutiva e cardiomiopatias (doenças do músculo cardíaco). Ela também regula o fluxo de cálcio que entra e sai das células e, consequentemente, atua sobre a função cardíaca. Tem ação antioxidante nas células, mas também é precursora da síntese de lípidos complexos da pele (glicoesfingolipídios), que possuem propriedades antibacterianas.

Além destas particularidades , o gato requer uma grande quantidade de proteína em sua dieta,  cerca de 12% , em comparação com 4%  para os cães adultos.

Proteína é essencial para o crescimento e o tônus muscular saudável de gatos. Proteína é o principal material estrutural em quase todos os tecidos vivos – pelos, pele, unhas e músculos são constituídos principalmente de proteínas.

Ao contrário de você, seu gato necessita de uma dieta rica em gordura. A gordura irá proporcionar energia necessária, auxiliando a absorção de vitaminas solúveis em gordura, tais como A, D, E e K.

Carboidratos e fibras são importantes para a produção de energia e uma boa digestão nos gatos. Para obter energia imediata, o corpo do gato converte carboidratos (a energia de reserva é armazenada como glicogênio). Fibras suportam uma boa digestão e a consistência apropriada das fezes. Em rações para animais domésticos, grãos como arroz, milho e trigo, são boas fontes de carboidratos e fibras.

Os gatos são, portanto, considerados carnívoros obrigatórios. Em vista destas especialidades nutricionais, deve ser notado que a alimentação de gatos, através de comidas para cães em longo prazo, pode não alcançar as exigências nutricionais específicas do gato (WALTAHM NEWS, 2010).

Alimentação

Você pode alimentar seu gato com duas refeições por dia, ou deixar alimentos para beliscar, para os proprietários mais ausentes. A maioria dos gatos jovens (1-4 anos de idade) são muito ativos, porém, com o passar dos anos , eles podem desacelerar e começar a ficar mais sedentários, contribuindo para o ganho de peso. Monitore o peso do seu animal.

Lembre-se, a água também é um importante nutriente. Gatos precisam de água limpa e fresca diariamente, principalmente os felinos alimentados somente com ração seca. Muitos donos de gatos utilizam aquelas pequenas fontes, que em sua maioria servem de enfeites em casa, para que seus gatos possam beber a água sempre fresca. Muitos gatinhos adoram!

Considere sempre a idade do seu gato

Até 8-9 meses de idade: Alimente o seu gatinho com comida de gato enlatada consistente, semi-úmido, seco para filhotes.

1-9 anos: Alimente seu gato com um alimento de gato adulto, enlatado, semi-úmido, seco.

8-9 + anos em diante: Alimente seu gato com alimentos: enlatado, semi-úmido, seco,  para um gatos “sênior”.

Sempre leve seu gato ao veterinário, acompanhe o peso do seu animal para que ele não esteja abaixo do peso ou acima do peso, podendo assim, estar mais suscetível a doenças, condições patológicos provenientes da má alimentação.

Para saber mais, vale a pena conferir essa página com mais informações sobre nossos queridos felinos: http://www.uniaozoofila.org/

Texto baseado nas informações do site: http://www.petplace.com

Sobre drpatinhas

Médica Veterinária
Esse post foi publicado em Dieta. Bookmark o link permanente.