A Higiene bucal do seu animal

Hoje, lendo um artigo no site do Dr. Marty Becker, médico veterinário dos Estados Unidos, (http://www.vetstreet.com/dr-marty-becker/), encontrei um assunto muito interessante sobre a importância da higiene oral, bucal de nossos animais, principalmente cães e gatos. Até hoje me deparo com pessoas surpresas ao saberem que animais precisam escovar os dentes e principalmente, fazer limpeza, a famosa remoção de tártaro e placa dentária. Para aqueles que já sabem dessa necessidade, há outro obstáculo a frente. Mas Dra, e a anestesia? Tenho medo! É muito arriscado! Ouço isso direto, e foi justamente nesse ponto que o artigo dele começou:

O que você acha que possui um maior risco de vida para seu animal de estimação: Anestesía, ou uma boca assim, repleta de bactérias?

282763_10151725473154348_45996544_n

Esta é uma fotografia de um cão visto pelo médico veterinário Dr. Jenny Beard na Flat Creek Animal Clinic, no Alabama, EUA. Este proprietário amava o seu cão, e não recusou os serviços odontológicos necessários ao seu animal porque iria gastar muito dinheiro com isso, mas sim,  por medo da anestesia. Além do animal sofrer durante anos com esse problema odntológico doloroso, (sim, o tártaro, proveniente do acúmulo de placa bacterianana, perda dos dentes, gengivite, abcessos, infecções, dores, mal hálito e muitos outros problemas que afetam a saúde do animal) acabou morrendo por problemas no coração e por insuficiência renal que podem ter sido causados ou agravados pela infecção na boca.

Normalmente, todo animal contém em sua boca uma flora bacteriana. Estas bactérias se aderem aos dentes formando a placa bacteriana que aos poucos se mineraliza formando as placas de tártaro, essa crosta de cor bege que você pode observar na foto.

Os riscos que a má higiene bucal traz aos nossos peludos são infinitamente maiores, e mais preocupantes, que os riscos anestésicos. Claro que todo procedimento cirúrgico envolve algum risco, porém, a doença periodontal, pode trazer sérios problemas ao organismo do seu animal, pois as bactérias que se encontram na boca, nesse acúmulo de tártaro, caem diretamente na corrente sanguínea e através dela migram para todos os órgãos do corpo, predispondo o animal a doenças do coração, rins, pulmões, fígado, sistema nervoso central e articulações.
O ideal seria a escovação diária, acostumando o animal desde filhote a ter seus dentes escovados, e um acompanhamento odontológico periódico, fazendo a tartarectomia, ou seja, a limpeza de tártaro sempre que o médico veterinário detectar tal necessidade.

Sobre drpatinhas

Médica Veterinária
Esse post foi publicado em Odontologia. Bookmark o link permanente.