Entre Lobos e Cães

Esse mês a revista Scientific American Brasil, traz mais uma edição sobre cães e gatos. Nessa edição especial de número 2, fala-se de novas descobertas genéticas, mudando então nosso conceito errôneo de que os cães derivam do lobo cinzento que conhecemos hoje, sendo o ancestral do cão, para um novo conceito: Um tipo extinto de lobo originou o cão antes do início da revolução agrícola, há aproximadamente 12 mil anos. Novos estudos revelam também que houve um extensivo fluxo gênico (uma migração de genes entre populações. O efeito destas transferências de genes entre populações depende da diferença nas freqüências do gene nas duas populações e da proporção de indivíduos migrantes) resultante do cruzamento entre esses grupos depois que eles se separaram. Essa miscigenação (processo ou resultado de misturar raças, pelo casamento ou coabitação de um homem e uma mulher de etnias diferentes) confundiu tentativas anteriores de discernir a ascendência do cão.

O biólogo evolutivo Greger Larson, da Universidade de Oxford, explica sobre seus novos estudos, o novo mapeamento genético, e levanta a suspeita de que várias populações geograficamente díspares das espécies de lobos ancestrais podem ter contribuído para o surgimento do cão moderno.

Realmente uma matéria bem interessante, mudando nosso conceito simples de que o cão veio do lobo cinzento e que este esteve por aí há centenas de milhares de anos e ponto final. Não, há muito ainda para se descobrir, principalmente a questão chave que até hoje não se sabe a resposta: Quando e onde ocorreu a domesticação dos cães?

Texto e ilustração: Revista Scientific American Brasil, Edição Especial Cães e Gatos 2.

produto_4271_a_ciencia_de_caes__e__gatos_2

Sobre drpatinhas

Médica Veterinária
Esse post foi publicado em Curiosidades. Bookmark o link permanente.